segunda-feira, 28 de maio de 2012

Deus provê, eu sei que proverá!

A tempestade vai passar - Padre Reginaldo Manzotti


Como é bom estar aqui
Em meio a tantas aprovações
Saber que posso confiar
Em meu senhor
E acreditar
Que ele nunca faltará

A tempestade vai passar
Pois sobre as ondas confiante andarei
Tribulações, vencerei
As aflições superarei
Deus prove
Eu sei que proverá

Nesse bravo mar da vida
Ventos vêm me atormentar
Nesta rocha firme e forte
Que é meu Deus
Não temerei
Nele posso confiar

O próximo artigo


Faz muito tempo que não escrevo no meu blog e estou realmente sentindo muita falta disso. Ocorre que o propósito do blog é converter em artigos tudo aquilo que escrevo no meu diário e quando chegou a hora de abordar o assunto sobre adoção eu travei... não me sentia pronta para falar abertamente sobre isso, não conseguia traduzir em palavras o turbilhão de coisas que sinto a respeito, o misto de frustração, medo, preconceito, expectativa, ansiedade e amor, um amor tão diferente que ainda não consigo explicar, porque é o amor pelo absoluto desconhecido, é um salto no escuro.
Quando se ama um filho biológico antes dele nascer, embora a criança ainda seja desconhecida, ela é fruto de nós mesmos, é parte de nós, tanto em sua aparência quanto em sua personalidade é muito provável que nos reconheçamos nesse pequeno ser e com isso teremos aquela sensação de continuidade da nossa existência inerente ao que chamamos de “descendência”.
No entanto, quando se ama um filho adotivo enquanto o espera, ama-se o absoluto desconhecido, não se sabe quando essa criança chegará, que idade exatamente terá, filho de quem será, em que condições foi gerada (certamente não nas melhores), que traços físicos terá, e, principalmente, qual será sua personalidade, que aspectos sofrerão alguma interferência hereditária, que traumas carregará consigo... enfim, como todo amor, esse também supera a razão, o entendimento, também cura e transforma, é o dedo de Deus capaz de reescrever nossas histórias, porém, esse amor exige um pouco mais de CORAGEM...
É esse meu salto que irei compartilhar no próximo artigo.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Eu quero a minha benção!

Hoje fui à Novena de Nossa Senhora Desatadora dos Nós. Emocionei-me demais com a cerimônia, especialmente com as músicas porque pareciam terem sido escritas para mim e totalmente direcionadas a cada uma de minhas angústias, chorei muito em cada música que cantei/rezei. Uma música traduziu exatamente aquilo que eu desejava falar para Deus.
Compartilho com vocês e espero que gostem.

Minha Benção - Gislaine e Milena

Necessito tanto de uma benção
Vem Senhor e sonda o meu coração
Minhas lágrimas não cessam de rolar
O meu rio de esperança desaguou
Assim como Ana fez quero fazer
O meu voto é de fé, não vou falhar
Meu clamor vai encontrar teu coração
E dizer o que eu preciso

Eu quero a minha benção
Dela eu não abro mão
Eu quero a minha benção
E eu não desisto não
Preciso da resposta
Vem Senhor me atender
Eu só vou sair daqui
Quando a benção receber

Rasgarei os céus
Tocarei em Ti
E sentirá nas mãos,
Minha lágrima cair
Posso me cansar
Mais não vou calar a minha voz
Enquanto a minha benção não chegar

quinta-feira, 21 de julho de 2011

As Portas Vão Se Abrir

Ouvi esta música a 1ª vez no dia 31/01/2009 e desde então sempre me recordo dela quando os meus sonhos desabam e Deus diz ao meu coração: “Filha, não pare agora, a tua bênção vai chegar!”.
Compartilho com vocês e espero que gostem.

As Portas Vão Se Abrir - Suellen Lima

É madrugada,
E outra vez você perdeu o sono,
Final da estrada, desabaram tantos planos, tantos sonhos...
As lutas são demais, no teu rosto vejo lágrimas rolarem, mas filho não desista de lutar...
Porque eu estou contigo a toda hora.
Eu sempre te amei, e andar sozinho nunca te deixei, nos meus braços eu te carreguei, por isso filho meu não pare agora...

As portas vão se abrir, a tempestade vai passar, a vitória vai surgir, a tua benção vai chegar, fui eu quem te escolhi e nunca vou te abandonar e nas minhas mãos você vai descansar.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Consagração a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro sempre foi minha padroeira, herdei esta devoção da minha mãe. Na paróquia que eu frequentava havia um Santuário em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, e aos cuidados Dela sempre esteve o meu coração.
Eu e meu esposo começamos a namorar, no dia 04/07/2005, aniversário dele, sendo que no dia 27/06/2005 foi a festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, e ele, que tal como eu sempre rezava pelo nosso encontro, havia pedido esse presente para a Nossa Mãe. 
Casamo-nos dois anos depois, o Casamento Civil realizou-se no dia 27/06/2007 e Casamento Religioso realizou-se no dia 30/06/2007, sábado seguinte à festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.
Hoje, 4 felizes anos mais tarde, ainda recordo a emoção que inundou meu coração quando no altar pedi para que Deus, em Seu grande amor, confiasse a nós nossos filhos. Esse pedido e todo nosso matrimônio nós consagramos naquela cerimônia à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em uma homenagem muito especial que relembro aqui.
Esta imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro adquiri em abril de 2008, assim que nos mudamos para nosso apartamento, consagrando nosso lar também a Ela.


Consagração a Nossa Senhora

Eu vos saúdo, ó Maria, Mãe do Perpétuo Socorro. Eu vos saúdo, Rainha do céu e da terra, a cujo império, está sujeito tudo o que existe abaixo de Deus. Eu vos saúdo, Refúgio dos pecadores, cuja misericórdia jamais falhou. Atendei à vontade que tenho de possuir o Amor Eterno, a graça de Deus, a salvação eterna. Dai-me a graça de ser discípulo de Jesus na santidade dos costumes, no cumprimento dos deveres, no zelo da salvação das almas. Transformai a minha vida em um santuário de virtude onde Jesus seja o centro. Recebei, ó Maria, meus votos e desejos e ofertai-os a Jesus. Quero que Ele receba, por Vossas mãos, os meus obséquios, e por Vosso Coração, o meu coração.
Consagro-me, pois, inteiramente a Vós, e ponho-me inteiramente em Vossas mãos. Em Vossas mãos eu renovo as promessas do meu Batismo; renuncio ao demônio, suas obras, suas pompas. Em Vossas mãos, eu me comprometo a levar a minha cruz, obrigando-me a imitar-Vos. Em Vossas mãos eu deposito o propósito de ser fiel a Jesus, mais fiel do que tenho sido até agora.
Ó Maria, eu Vos escolho por minha Mãe e Mestra. Eu vos consagro tudo o que tenho e tudo o que sou. Eu Vos dou o meu corpo, a minha alma, os meus bens, o meu passado, o meu presente, o meu futuro, as minhas alegrias, as minhas dores, a minha vida, a minha morte, a minha eternidade. Disponde de mim como Vos aprouver. Recebei este meu ato de amor: quero ser Vossa para ser de Jesus.
Santa Mãe do Perpétuo Socorro, abençoai-me!
Amém!

Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Consagração a Nossa Senhora. Disponível em: <http://www.santuarioperpetuosocorro.org.br/detalhar_noticia.php?id=230> Acesso em: 27 de jun. 2011.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Providência Divina

Estávamos (como ainda estamos) passando por momentos muito difíceis, enfrentávamos um problema financeiro terrível, tínhamos que honrar com o financiamento do nosso apartamento e os aportes anuais devidos à Construtora, além disso, inúmeras incertezas pairavam sobre o meu emprego.
Nós estávamos trabalhando exaustivamente, ainda assim, não fazíamos ideia de como conseguiríamos adimplir tais compromissos e era insuportável viver com essa espada apontada para nossas cabeças, não podíamos fazer planos e não tínhamos quaisquer perspectivas positivas para o futuro. Enfim, a insegurança e o medo que sentíamos eram tamanhos que quase nos sufocavam, mas em meio a tudo isso eu vivemos um exercício muito rico de fé.
No dia 22/04/2010 eu estava assistindo o programa do Padre Fábio de Melo e ele falava sobre a fuga de Moisés e os Israelitas do Egito (Ex 14, 1-31), nessa palestra o padre descreveu exatamente como eu me sentia e suas palavras, ungidas pelo Espírito Santo, tocaram profundamente meu coração, de tal sorte que tive a mais absoluta certeza de que, embora naquele momento eu não conseguisse enxergar nenhuma solução, eu deveria seguir lutando porque no momento certo Deus abriria o meu marzinho.
Realmente na minha vida as coisas nunca aconteceram na hora que eu queria e eram conquistadas com muito sacrifício, mas depois eu sempre acabava percebendo que tudo havia acontecido no tempo Deus, que revelava ter agido de tal forma por ser o melhor para mim. No entanto, ao enfrentar uma grande tribulação nossos sentimentos nos cegam e tendemos a nos esquecer de todas as provas de amor que Deus já nos deu.
Estas palavras renovaram minhas esperanças e minha fé na Providência Divina, por isso as compartilho com vocês e espero que gostem.

O Inimigo tem pés de barro

A mim é motivo de imensa alegria estar aqui. Há um ano atrás, meu grande amigo, pai, padre Léo, manifestava aqui que estava sem saúde, e um ano depois eu tenho a graça de depois dois meses de total parada, também por razões de saúde - anunciar por graça de Deus e pelo meu ministério.
Tenho aprendido a ser grato a Deus pelos detalhes. São nos detalhes que descobrimos o valor da obra de arte, por isso Deus nos ensina a olhar as miudezas da vida.
Eu sou muito menos padre quando não venho aqui. Eu sou muito menos homem quando não faço programa aqui, quando não recebemos sua carta. Esse território é santo, é de mártires. Vendo o martírio dessas meninas que ficam aqui passando a noite velando para que você tenha um encontro com Deus, isso é santo, sagrado. Antes de você chegar aqui, muita gente derramou “sangue”.
Quanto maior o número de defeitos que o ser humano tem, maior trabalho ele terá para correr atrás das virtudes. Deus não decepciona aquele que busca e espera por Ele.
Quero fazer um esclarecimento. Betesda significa lugar de derramamento, casa da graça. O contexto principal desse evangelho é o poder das águas. Tudo o que você traz para seu corpo é conduzido pelo movimento das águas. A vida vai seguindo o movimento das águas. É belíssima a passagem de quando Moisés é levado pelo movimento das águas e é encontrado pela filha do faraó. Para o povo sair da escravidão, precisou o mar se abrir.
Moisés, diante da impossibilidade de vencer as águas, se volta para Deus e diz: “Você nos retira do Egito, mas não temos como ultrapassar esse mar”. Diante do questionamento de Moisés, Deus diz apenas uma frase: “Diga ao povo que caminhe”. Deus não deu uma frase que garantisse o milagre, mas requereu a fé.
A expressão de Deus não é uma expressão que facilita a vida, mas que encoraja. “Vou fazer vestibular e alguém compra a prova para mim. Alguém facilitou para mim”. Deus não facilita, pois quem facilita corre o risco de infantilizar o facilitado e Deus não nos quer infantis na fé. Deus nos quer amadurecidos, prontos para dar o primeiro passo.
Na experiência do povo de Israel, diante de um povo que o quer matar, Deus não facilita para Moisés, mas requer sua fé. Se ficarmos parados, nós morremos. O povo queria uma reposta mágica, mas Deus dá uma ordem que encoraja, que faz crescer dentro deles a lembrança que aquele Deus que caminhou conosco não nos deixará na mão. Eu não sei como será, mas não desistimos do que esperamos. Fé é saber acreditar quando tudo está ao contrário. Homem de fé não é aquele que vê. É o que não vê e não desiste.
Parados pelo mar que os podia afogar e o um exército atrás que os poderia matar, aquele povo estava emparedado. Ser homem e mulher de fé é você viver uma única alternativa: eu não posso mais voltar.
Eu sou um homem cheio de defeitos, limites. Se retirar o que Jesus fez em mim, eu não sou nada. No momento em que não temos outra alternativa, é melhor acreditar na Palavra. Quando tudo indicava que a morte iria chegar, com os pés na água, seguindo a ordem do Senhor, o milagre aconteceu. Como nas bodas de Caná, para o milagre do vinho é necessária a água, porque teologicamente é necessário o dom de Deus e a nossa iniciativa. Não é possível viver a experiência da santidade sem movimentos das águas.
É como diz Santo Agostinho: “Deus só nos pede aquilo que Ele já nos deu. Tudo está em nós sob forma de dom”.
A experiência da fé nos movimenta para sermos o que a gente é. Você não tem outro destino, a não ser a santidade, da mesma forma que o povo de Israel não tinha a não ser a libertação. Ninguém emagrece fazendo novena. Ou a gente se disciplina ou não emagrece.
Quantas vezes a gente reclama, mas não coloca o pé nas águas. Durante 38 anos aquele homem viveu reclamando por não chegar à piscina, ficou paralisado, não se esforçou, dizendo que não conseguia.
Tudo que você ingere tem duas possibilidades: pode nutrir ou intoxicar. A água é o organismo vivo que faz com que tudo aquilo que você escolheu errado possa ser jogado fora. Deus está gritando uma palavra de profecia para você.
Vida cristã é muito mais que prazer. Experiência de Deus é você não mais saber quem é você, mas saber recordar quem é Jesus em você. Há tantos de nós intoxicados pela vida, pela palavra do outro. Quantas vezes você não fez a experiência de chegar a um lugar e adoecer.
A grande artimanha do diabo é minar nossa saúde espiritual, colocar desânimo na nossa vida de oração. Há pessoas que se amarguram por não ter dado conta a vida inteira, mas não fizeram sua parte no milagre.
Se nós tivéssemos a possibilidade de analisar nosso espírito hoje, ainda veríamos que permanecemos tão secos e paralisados nos nossos medos. Quer dá força ao inimigo? Tenha medo. O teu medo te faz entregar ao inimigo. Muitas vezes, o mar da vida nos torna vítimas. Quantas pessoas são vitimas das pessoas que estão ao lado. Coração que não faz a experiência de se mergulhar no Espírito Santo sempre será vítima do inimigo.
Eu não dou conta. Para essa frase não precisa de esforço, e cada vez que dizemos isso perdemos o movimento das águas e a chance de atravessar o mar. Tornamo-nos vítimas por que perdemos a chance de dizer: “eu não aceito”. Tenha a coragem de dizer: “Esse mar não mais irá me afogar”.
O que faz um homem ser de fé é a resposta que dá diante da insegurança - isso é cristianismo. Não é uma postura angelical, é uma forma de se tornar guerreiro, soldado. Coragem! Vitória é o que Deus quer celebrar na nossa vida por meio da fé.
Quando você tiver a coragem de colocar o pé na água, você já poderá sorrir porque seu inimigo tem os “pés de barro” e nas águas do Espírito Santo ele irá se afogar. A única forma de você vencer o inimigo é colocar os pés onde ele não pode estar. (grifo acrescido)

MELO, Fábio de. O Inimigo tem pés de barro. Disponível em: <http://wiki.cancaonova.com/index.php/O_Inimigo_tem_p%C3%A9s_de_barro> Acesso em: 06 de jun. 2011.